Mitos Clássicos na Quinta da Regaleira

Mitos Clássicos na Quinta da Regaleira
LOCAL: Quinta da Regaleira ACESSO: Incluído no bilhete de visita à Quinta da Regaleira, mediante inscrição prévia através do e-mail: producao@cultursintra.pt ou de marcação directamente na bilheteira
OUTROS
DATA: 06/05/201815/07/2018 HORÁRIO: Domingos às 10h30, quinzenalmente

Percursos na Quinta da Regaleira pela Associação CLENARDVS

24 percursos especializados conduzidos por elementos da Associação CLENARDVS – Promoção e Ensino da Cultura e Línguas Clássicas na Quinta da Regaleira subordinadas a temas relacionados com a mitologia clássica e a flora, nos moldes seguintes:
• 12 destinadas ao público em geral, a realizar aos domingos entre 6 de maio e 22 de julho, pelas 10h30, com número mínimo de 10 inscrições e máximo de 25.
• 12 destinadas ao público escolar, em horário a acordar com as Escolas e mediante o interesse destas, a realizar às segundas-feiras.

Duração dos percursos: 90 minutos (aprox.)

——

[ Percurso I ]

Mitos Clássicos na Quinta da Regaleira
6 e 20 MAI | 3 e 17 JUN | 1 e 15 JUL

Os mitos clássicos estão presentes no dia a dia de cada um de nós - no nosso imaginário, na nossa linguagem e no nosso pensamento.
Por que razão continuam estas histórias, inventadas há milhares de anos, a ser tão atrativas? Elas continuam a fascinar-nos, não apenas enquanto simples narrativas, mas, também, pela intemporalidade das questões que levantam. De facto, os mitos são, numa leitura superficial, apenas histórias de deuses e heróis, mas encerram, numa leitura mais profunda, importantes questões – como surgiu o cosmos e como surgiram os deuses? O que é uma vida bem-sucedida? Como se explicavam os fenómenos naturais? Que atitude devemos adotar perante a morte?
Nos jardins mágicos da Quinta da Regaleira, os deuses aparecem-nos no meio da Natureza, que eles ajudaram a explicar. Mercúrio, Ceres, Vénus e Orfeu são algumas das divindades que nos propomos apresentar-vos, através de algumas das narrativas de que são protagonistas.

 

[ Percurso II ]

A Flora e a Cultura Clássica nos Jardins da Regaleira
13 e 27 MAI | 10 e 24 JUN | 8 e 22 JUL

Mitos, lendas e outras histórias dos elementos vivos do Jardim.
Podemos considerar um Jardim como um espaço cénico que recria o Éden. O arquiteto e cenógrafo, Luigi Manini, que concebeu a arquitetura do Palácio, da Capela, das grutas, poços e galerias subterrâneas, foi também, o projetista do Jardim. Num Jardim romântico é de esperar um número considerável de espécies exóticas, como é o caso, mas também elementos da flora autóctone, interligadas para propiciar bem-estar e tranquilidade, mas em que algumas espécies têm valor simbólico.
Em todas as plantas podemos encontrar uma ligação à cultura clássica, mais que não seja, pelo seu nome científico, que é constituído por dois nomes em latim e reconhecido mundialmente. Mas muitas plantas estão ligadas a mitos e lendas da cultura greco-latina e essa ligação não é aleatória, pode ser justificada por pormenores da biologia da espécie em causa como: a produção de alimentos básicos ou de substâncias tóxicas; apresentarem poderes terapêuticos ou, simplesmente, pela sua longevidade ultrapassar em muito a nossa esperança de vida.
Num espaço aprazível e único, como é o Jardim da Regaleira, faz todo o sentido contar estas histórias junto às árvores e arbustos que lhes estão associados. Num Jardim com árvores centenárias, fontes e grutas, construídas há já mais de um século, é de esperar que estejam habitadas por uma fauna específica desses habitats e é obrigatório falar ainda de morcegos e anfíbios, também eles referidos nos mitos antigos.
Assim pretende-se, neste percurso, recordar a cultura clássica, divulgar as Ciências da Vida e sensibilizar o visitante para a importância da biodiversidade.

Actividade desenvolvida pela Associação CLENARDVS, em parceria com a Escola Secundária Leal da Câmara - professor Fernando Bação.

——

A ASSOCIAÇÃO CLENARDVS – PROMOÇÃO E ENSINO DA CULTURA E LÍNGUAS CLÁSSICAS – surge no sentido de contribuir para a recuperação da importância do estudo da cultura greco-latina e das línguas que a suportam, o latim e o grego. Fundada por um grupo de professores dos vários graus de ensino, não é, contudo, uma associação só de professores. Serão bem-vindos todos aqueles que reconhecem a importância da herança clássica na Língua e Cultura Portuguesas e encontram nos valores humanísticos e de cidadania herdados da cultura greco-latina um meio de formação capaz de contrabalançar o crescente pendor tecnocrata da educação.

——

Foto: Nuno Antunes