A FLAUTA MÁGICA
Teatralização da Ópera de Mozart e Schikaneder
pelo Grupo de Teatro do Fatias de Cá

6 AGO · 24 SET 2017
Domingos | 20h20

[ No dia 13 AGO não haverá sessão ]


A Rainha da Noite convence o príncipe Tamino a resgatar a sua filha Pamina, raptada pelo “malvado” Sarastro.Para tal, Tamino contará com a ajuda de uma flauta mágica e do “linguarudo” Papageno. Tamino e Pamina encontram-se e encantam-se, mas Sarastro fá-los-á sujeitarem-se a ordálios, de forma a provarem que se merecem um ao outro.

FICHA TÉCNICA
Teatralização da Opera de Mozart e Schikaneder
Versão e Encenação Carlos Carvalheiro
Produção Executiva: Alexandra Azevedo de Carvalho
Interpretação: Alexandra Azevedo de Carvalho, Antonio Craveiro, Antonio Lourenço dos Santos, Carlos Carvalheiro, Claudia Guia, Inês Damasceno, Joana Jacob, João Damasceno, Paula Queirós, Paulo Moura, Pedro Nunes, Sara Cruz
Tecnica: Teresa Moura
Catering: Homerest
Fotografia: Taylor Moore

——

Local: Jardim da Quinta da Regaleira - itinerante
A peça começa e acaba no Portal dos Guardiões, fazendo percursos pelos locais mais icónicos da Quinta da Regaleira. No final haverá um bodo.
Classificação: M/12
Duração: 180 minutos
Acesso: 33 € - bodo incluído

Informações e reservas:
Fundação Cultursintra FP 
219 106 650 | bilheteira@cultursintra.pt
Ticketline
1820 (24 horas) | www.ticketline.pt

Bilhetes à venda:
Bilheteira da Quinta da Regaleira
Postos de venda Ticketline
www.ticketline.sapo.pt

——

NORMAS DE ACESSO

As reservas deverão ser levantadas na bilheteira da Quinta da Regaleira. As reservas não levantadas até 45 minutos antes do início do espectáculo serão desbloqueadas e colocadas à venda.

A bilheteira encerra 15 minutos antes do início do espectáculo.

A entrada na sala após o início do espectáculo é proibida. Em caso de atraso e de impossibilidade de entrar, o valor do bilhete não será devolvido.

Os espectáculos de teatro realizam-se com um quórum mínimo de 10% da capacidade da sala.

Não é permitido qualquer tipo de registo áudio ou vídeo sem autorização prévia.

Não é permitido o uso de telemóvel ou de outros equipamentos sonoros durante o espectáculo.

Não é permitido comer e/ou beber no espectáculo.

Não é permitido fumar.

O Bilhete deve ser conservado até ao fim do espectáculo.

Na sequência do Decreto-Lei nº 23/2014 de 14 de Fevereiro, a Fundação Cultursintra FP informa que não é permitida a entrada a menores de 3 anos nos espectáculos de teatro.

AVISO: O espectáculo decorre ao ar livre, caso não se reúnam as condições meteorológicas favoráveis à realização, a Fundação Cultursintra FP reserva-se o direito de cancelar a sessão, salvaguardando a remarcação dos bilhetes ou respectivo reembolso.

——

SOBRE O GRUPO FATIAS DE CÁ

O Fatias de Cá, criado em Tomar em 1979, envolve cerca de 150 pessoas, metade das quais são membros nivelados do Conselho de Teatro e tem centros de produção em Lisboa, Coimbra, Tomar, Torres Novas e Almourol

O Fatias de Cá posiciona-se a partir de três axiomas:
• Assume como sagrado o valor da Liberdade.
• Luta pelos princípios que fazem os homens mais irmãos. Todos.
• Entende a Literacia como «a» prioridade.

O Fatias de Cá tem consciência, e assume, que o teatro é uma atividade elitista: ao que parece, apenas 1% da população vai ao teatro, o que corresponderá, em Portugal, a 100.000 pessoas. É para esta “elite” que o Fatias de Cá faz Teatro.

Do ponto de vista da prática teatral, a opção estética do Fatias de Cá assume três vertentes:
• o Património, quer o construído quer o paisagístico, é assumido como um espaço teatral privilegiado, tendo em conta o cenário que comporta;
• a partilha com o público de um momento de refeição é assumida como uma forma de sociabilização, de confortabilidade e de concentração no espaço-tempo convocado pelo espetáculo;
• o ato teatral é assumido como um momento que emocione, divirta e informe.
 
O Fatias de Cá defende como lema uma frase atribuída a Galileu: não resistir a uma ideia nova nem a um vinho velho

Página oficial: facebook.com/FatiasdeCa